sábado, 13 de agosto de 2011

Tempos, em tempos...


Sinceramente eu não sou a melhor pessoa para redigir um texto, mas acho que tenho sentimentos de sobra para fazê-los.
O tempo passa e a gente muda, percebe erros, percebe idiotices, percebe sorrisos e amores. Simples, não é? Não. A verdade que para percebermos tudo isso, precisamos deixar o tempo fluir. O que me lembra de uma frase que li: Ela perguntou ao tempo: 'O que eu tenho que fazer para essa dor passar? O tempo respondeu-lhe: Deixe-me passar'. E sim, eu concordo absolutamente nessa frase, posso dizer de experiência própria, ou por ver isso nas pessoas. Como disse no começo, a gente muda.
"Alguém se lembra daquela primeira paixão. Não, não, aquela paixão. Se lembra? Se lembra como ela te destruiu? Como ela passou por cima de você? Como te fez chorar e sorrir? Sim, sim, sim! E no final, não foi bom? Pois é. Mudei, me apaixonei, sorri, desapaixonei, chorei, sorri. A verdade que nada mudou muito, porque foi o primeiro amor.
Conhecemos aquela velha história do menino bonito, jogador de futebol, atraente e simpático, e também aquela menina tímida, inteligente, que não chama atenção de ninguém. E você sabe muito bem que nos filmes essa história termina tão bem... Ele olha para ela e nota nela o seu verdadeiro amor. E ela já era apaixonada por ele há anos. Sim sim, cinema, filmes, contos ilusórios da carochinha. Sim, já ficou comprovado que isso não acontece.
Uma pena que ele foi o seu primeiro amor, e não outro. Uma pena que ele foi o meu primeiro amor.
Mas sabe, com o passar dos anos eu percebi que ele era normal, juro, que ainda sinto algo, algo bobo, bem menor do que antes, é a verdade. A gente nunca esquece quem a gente realmente amou. E sim, eu amei de verdade. Ela amou ele de verdade. E nunca vai esquecer, ou talvez esqueça.
Agora, ele nem sabe que ela existe, e ela sabe muito bem da existência dele, mas resolveu tocar a vida, se apaixonar por meninos errados, ser admirada e desejada por outros. Ser feliz só por ter amigos, e chorar a noite por causa de uma nota baixa.
A vida continua, mesmo que ele nunca mais saia da sua cabeça, a vida sempre anda para frente."
Depois disso, eu fiquei pensando muito. Fiquei revendo nas minhas lembranças, os tempos bons que passei, das mudanças que aconteceram, das mudanças. Das muitas mudanças.
E sabe, eu ainda não superei, ou talvez tenha superado. Mas ele ainda vai ser ele, é o meu primeiro amor, oras, não se pode mudar isso. Mas eu sei que haverão outros, e esses outros serão os outros amores da minha vida. Até chegar o dia, que o amor será muito forte, ainda mais forte que o primeiro, e ai sim, eu saberei que estarei com o cara certo.
Olhe, se está passando por uma situação dessas, saiba que demora mesmo a esquecer, mas deixa a vida seguir, eu aposto que tem muitos garotos que te encantaram, ao menos um pouco, e você possa esquecer dele, devagar... Boa sorte.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Como abrir em uma página a parte

Clique com o botão direito do mouse em cima do link.
Clique: Open in a new Tab/Abrir em uma nova aba ou Open in a new window/Abrir em uma nova janela (Algo do gênero)

Por favor, coloque para tocar Enchanted (Taylor Swift), enquanto lê o texto. Obrigada. (obs: Abra como uma página a parte - como fazer isso?)


"Eu estava mal até você chegar. Chorava, sim. Ria, as vezes. Sorria, falsidade. Me sentia qualquer uma, mais uma. E eu era, era mesma.
Você se lembra das pessoas falando de sermos ‘perfeitos’ um para o outro, como se não fosse verdade. Ou quando, diziam que deveríamos ficar juntos.
Bem, eu simplesmente acreditei. Acredite em você, acreditei em um possível nós.
A primeira vez que nos vimos, simplesmente fiquei completamente encantada. Seu sorriso, sua risada, sua fala, tudo. Era você, eu sabia...
Cheguei em casa, guardei todos os momentos em uma caixinha. E o resto ficou nos meus pensamentos.
A segunda vez foi ainda melhor. Deram um tempo para ‘nós’. Você falou comigo. Eu lembro de tudo e você?
Desse dia em diante, comecei a pensar o quão seria bom, se você estivesse ao meu lado todo o dia. Sendo meu amigo.
Desse dia em diante, conversamos todas vezes que deu. E foi simplesmente encantador. Você falava coisas que mexiam comigo. Falava bobeirinhas, e coisas realmente importantes. E isso durou uns três dias seguidos.
Confesso, gostei.
Mas hoje, sei lá, acho que não vai acontecer nada. N-a-d-a. Não interessa mais o que as outras pessoas possam dizer, não vai acontecer. Não por mim, é claro, como ficou obvio com esse texto, mas acho que por você.
Como que eu pude ser tão idiota, e pensar que você poderia gostar de mim.
Bem, eu sou só uma garota encantada pelo seu jeito. Apaixonada por você. Pensa em você todas as noites, pela manhã, e claro pela tarde. Sorri ao ouvir o seu nome, e logo depois chorar por lembrar.
Obrigada, era só isso."
And it was enchanting to meet you. (Taylor Swift)

quinta-feira, 23 de junho de 2011



A verdade é que eu não paro de pensar em você. Isso me consome, me delira, me desmorona. Ajude-me a sobreviver a esse conflito interno de você contra mim.

Gostava de mim, antes. Sinto saudades de mim mesma, do jeito que eu era. Das paixões, que por acaso davam certo, que eram 'boas' e saudáveis.

Sinto falta de sorrir, com as covinhas a mostra, com os dentes brancos e a alegria que simplesmente transbordava a cada palavra (verdadeira).

Mas além disso, eu gostava de mim mesma. Mas agora, você se tornou meu ícone de perfeição, de alcance, de 'precisar de'.

O mais estranho é querer mais você do que a mim mesma. Sonhar contigo, sorrir ao pensar, planejar um milhão de coisas que, é claro, só tem você.

Mais uma triste desilusão, estou certa? É claro.

Só um pedido final, queria ter você ao meu lado, só para te entender um pouquinho, te perceber um pouco, te ter, ao menos. (Besteira)

Agora, meus olhos já caídos, os cantos dos lábios contornados para baixo, já demonstram a tristeza antecipada. Só para não chorar várias vezes seguidas, o melhor é dividir esse tempo.


[E assim eu marco a minha volta para o CRIAR É VIVER, obrigada.]

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Bilhetinho

Então, eu andei pensando, muito! E descobri que estou com medo! E o pior, eu estou com medo do "medo"!
Estou com medo de nunca achar alguém!
E se eu continuar com medo? Agora eu estou procurando o motivo disso, e tudo me diz que é o Rodrigo*! Parece até que eu tenho que me resolver com ele, porque foi uma situação 'esquecida'!
Estou mal com isso! Queria "voltar" a gostar de verdade de alguém, de verdade!

Acho que você está com medo de se entregar para alguém, sabe? De gostar mesmo. E não pode ser assim! Só porque o Rodrigo* não correspondeu ao seu amor, não quer dizer que com o Vinícius* isso se repita. E o Rodrigo* é passado, esqueça isso!
Então, você não sabe se gosta de nenhum dos dois, certo? Eu sei como é isso: a gente fica num turbilhão de emoções e não sabe o que sentir.

Exatamente. Só que um gosta de mim, e o outro eu nem sei o futuro. Sendo que o Vinícius* fica me pressionando, e eu me sinto como 'contra a parede'.
O que me deixa pior. Me deixa mal, porque eu sei que ele não tem culpa da minha confusão!
E esse turbilhões de emoções está me deixando louca! COM-PLE-TA-MEN-TE...

Sim, sim. Acho que você deve esclarecer essa sua dúvida para ele. Mas você precisa se preparar se ele disser que não vai esperar que você se decida.
Já que se ele esperar, ele pode acabar se magoando. O que não dá também é você ficar com alguém só porque a pessoa gosta de você.

Sim, mas eu não queria magoá-lo. Nunca! Ele não merece isso! Ele é bonzinho demais, e não mereceria isso...
Me sinto realmente mal. E se ele me desse um fora, eu ficaria muito melhor! Porque eu não sei se você se lembra, mas eu sempre disse, que eu prefiro que ele me magoe do que magoá-lo. Porque assim eu sofro menos! =(

Cara, mas ninguém é totalmente bonzinho... Ele parece ser bem legal, mas eu ainda não sei.
E para de besteira, você precisa se colocar para cima. Você sofre muito com isso. Se preocupa mais com você também. Tem que se valorizar.

Ih menina! Nem ligaria se ele me desse um fora. Eu não me magoaria. Sério! Eu sinto que não iria me magora! Talvez seja isso, né? =(

Você não se magoaria, talvez, porque NÃO gosta mais dele... Só pode ser isso.

*os nomes usados nesse texto são fictícios.

Por Helena Oliveira



É sempre assim: “faça isso” ou “faça aquilo”. Não se pode nunca ter um meio termo? Uma dúvida? Pois eu TENHO dúvidas! Muitas! Eu não posso me decidir simplesmente assim, por ter isso ou nunca mais pensar nessa possibilidade. Se nem eu mesma sei o que eu quero, como posso dizer isso aos outros? Eu brinco, eu rio, mas no fundo eu quase choro. Não gosto de magoar as pessoas.
Principalmente aquelas de quem eu gosto. Poderia ser simples. Fácil. Objetivo. Mas há tantos “e se...” e “talvez...” que é tão difícil saber o que seria certo? Será que existe o certo?

sexta-feira, 15 de abril de 2011


Tem gente que simplesmente merece o meu desprezo!

terça-feira, 12 de abril de 2011

A grande tristeza da decepção


Nos dedicamos tanto. Sofremos tanto (eu sofri). Choramos durante anos. Em um lance de gangorra, de montanha-russa. Se é que você me entende? Essa variação de 'Eu te amo' para 'Eu nem ligo'. Machucou sabia? Perdi meu tempo! Perdi tudo o que tinha, em pró de alguém que não merecia! Alguém que nunca valeu a pena, ou talvez vale a pena! A arte da confusão e do 'não/sim' bate na minha cabeça constantemente, me perguntando: 'O que fazer?'. Desculpa, não tenho resposta! Mas... Mas como eu posso desistir de alguém que eu ainda amo, que eu ainda sinto as minhas pernas bambas e o meu coração saltando. Como posso deixar de te amar, tão intensamente, tão dolorosamente, tão (in)coerentemente. Na verdade quem disse que comecei assim do nada? Na verdade, você tem as características perfeitas, os gestos simples, 'O' cara (The one). Como alguém não se apaixonaria por alguém que a faz rir (no momento chorar), por alguém que sorri com os olhos, alguém que se encaixa perfeitamente no meu coração. A verdade, então, é que eu o amo, mas odeio amá-lo. Odeio sentir! Odeio querer! Odeio qualquer coisa que me machuque, afinal é isso que o ser humano faz, ele tem que se proteger. Já não é mais uma coisa de moral, é prevenção. Mas então, eu deveria odiá-lo! Ele me machuca(ou) tanto! Decepcionada ao fim, de toda essa discussão mental e cansativa. Desculpe, eu ainda te amo!

domingo, 10 de abril de 2011

Você merece!


A gente só conhece as pessoas, depois de muito tempo de convivio!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Como se já existisse...


Parece que já faz tanto tempo, mas foi assim, tão do nada. Sem bases, sem estruturas, sem vetores, nada. Aconteceu. Acreditamos que podia ser real e verdadeiro.

Agora eu venho a me perguntar, o que seria da minha vida sem vocês?

Afinal para que serve uma melhor amiga? E o que dirá QUATRO... A sorte sorriu para o meu lado. Encontrar pessoas tão especiais e lindas como vocês.

Partilhando momentos, crescendo, rindo, curtindo esse (pequeno) espaço de tempo que passa, definitivamente, mais rápido do que outros.

Assim surgiu a amizade verdadeira. Com muitas discussões, falta de comunicação, ajuda, abraços, ombros (largos rs), de tudo isso. Foi devagar, foi crescendo.

E olha, não sei, mas chegou a um tal ponto que a minha vida ia ficar sem graça sem vocês.

Com que eu poderia dividir tudo o que eu conquistei? Quem estaria ao meu lado para dizer: 'Acorda' ou 'Ele não te merece'? Como eu encontrei entre trilhões de pessoas no mundo, amigas como vocês?

As vezes, sinceramente, acho, que foi um golpe de sorte, coisa do destino, algo que só nós sabemos. Algo que só nós sentimos, a amizade verdadeira.

E para todos que já disseram ou dizem que amizade verdadeira não existe, eu tenho provas (vivas) que elas existem e são melhores do que muita gente falsa.

Simplesmente, ou completamente, é isso.

Não sei como eu encontrei, mas vocês são muito especiais.

Claro, como pude esquecer, os agradecimentos, pois afinal, o que seria um post desses sem os tais Agradecimentos, simplesmente muito especiais:

Obrigada, mesmo, por tudo! Pelas histórias, pelas noites de conversas, pelos brigadeiros, pelas danças, pelos conselhos, pelas risadas, e pelos milhões de motivos que me fazem escrever tudo isso para vocês, suas lindas!


Beijos da melhor amiga,

Aninha s2

Meu (novo) irmão mais velho

Agora passa cada vez mais pela minha cabeça a sua importância. Como eu consegui viver tantos anos da minha vida sem ter você, como meu melhor amigo. Seria possivel, tanto arrpendimento, vindo em direção à uma pessoa só?
Mas, sabe, esse um ano foi incrível, nunca pensei em conhecer alguém assim, tão palhaço, bobo, idiota, insuportável, irritante, como você.

Mas como eu poderia viver sem os seus apertões, seus abraços gigantes, sem os meus 'Dona Ana'. Como eu ia chorar sem um ombro como o seu? O que seria da subida até o prédio preto sem você, qual seria a graça?

Que bom que você me pediu um biscoito! Afinal eu não sei mais o que é uma manhã sem você, seu chato.

Obrigada pelas risadas intensas, pelos conselhos sinceros, pelos 'idiotas' para aqueles que mereciam. Obrigada por fazer dos dias do ensino médio aqueles que eu lembrarei para sempre.

Mas nunca se esqueça, que poderá se passar milhões de anos, eu sempre quero estar contigo, para sempre. É para sempre, me ouviu? Melhor amigo é para isso, afinal de contas!

Agora, espero continuar sendo sua melhor amiga mais fofinha desse mundo todo.

'Wherever you'll go' - The Calling

Já é um irmão mais velho. Novinho do Cachambi!

Apaixonar-me-ei

É isso, afinal? Se apaixonar. Sentir seu estomago virado e totalmente contorcido. Sentir arrepios do seu dedão até o último fio de cabelo. Suspirar constantemente em sua passaagem. Rir absurdamente com as suas piadas (geralmente imbecis). Sorrir por um acerto. Chorar por uma perda. Magoar-se por nem saber da existência alheia. É isso, então? Descobri? Minha dúvida permanente e inquietante, correndo a cada membro do meu corpo. Sem saber o que é paixão, o que é amor o que é 'estar afim'. Não é tudo a mesma coisa? Por que eu não consigo definí-las. E dizer, afinal, gosto ou não gosto de você. Minha cabeça está em um turbilhão de pensamentos, completamente desorganizada, guardando todos os recentimentos em forma de lágrimas (ocupandomenosespaço). Então eu vou ficar na dúvida eternamente, e quando eu me decidir? E se eu nunca me decidir? E quando eu decidi! Mas e você, tão manso, e calmo. Que nem sabe que eu estou aqui, bem ao seu lado. Sempre confusa e precisando tanto da sua mão. Precisando do que você tem de melhor, para guardar em um potinho cor-de-rosa embrulhado com um laço de fita. Quem sabe não é isso? Algumas pessoas precisam se descobrir. Que tal uma nova aventura, sem nenhuma restrição, sem abusos ou tristezas? "Levantem as velas, marinheiros, vamos embarcar em busca de um novo destino, um novo futuro. O que passou já era! O que ficou duvidoso vai acabar. E o que é novo vai reaparecer imensamente maravilhoso."

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Vivendo uma realidade nada real.

Queria que os fones, com a minha música preferida, estivesse tocando. Eu fecharia os olhos e relaxaria, feliz, pelo menos um vez. Deixaria de me importar com os outros e viveria. Seria diferente de um cupido, seria amada, seria parte de uma letra de música... Ganharia flores e bombons. Escutaria a nossa música que me faria rir, e não mais chorar. Olharia meu dedo, e veria o brilho de um anel de prata. Tiraria-o e veria nossos nomes! Juntos... Leria todas as noites seus poemas e suas declarações mais secretas, lembrando que na manhã seguinte eu poderia agradecer com um beijo. Todos os dias teria seu abraço, seu beijo, seus braços. Te teria infinitamente para mim, sem barreiras (físicas ou emocionais). Choraria contigo, riria contigo, gritaria, bateria, beijaria, abraçaria tudo com quem eu estava precisando para sempre! Seria pelo menos uma vez feliz. Uma felicidade real.

domingo, 3 de abril de 2011

Lágrimas nos olhos

A grande fantasia do amor. A única que faz seu coração parar. V(t)er olhos apaixonados. Sentí-los intimamentes ligados ao seu coração, que igualmente está completamente envolvido na imagem perfeita. Entretanto, as milhões de intromissões na sua vida. Os milhões de obstáculos. As impossíveis barreiras, crescem ao seu redor, te colocando um poço (no fundo dele). Ao fim, você se vê sem saida, sem nada. Sem o que você tanto desejou. E se pior, você descobrir que seu obstáculo é o mais próximo de você do que imagina. Que alguém vai sair magoada. Que a barreira existe. Você não pode fazer isso, não pode pensar nisso, não pode nem... Falar! Sua voz secou, só concorde e apoie. Você está errada na relação. Entrou como uma idiota. Só para se magoar mais, para se desesperar mais. Nesse jogo, agora, não tem mais volta, não tem mais lances a se fazer. Seu peão está parado, esperando o ataque. Alguém vai ter que desistir do jogo. E a grande perdedora... Pode ser... Você... O mais triste a se declarar, é que alguém vai ter que sair, e sair magoado. Vai sair desolado, triste, excluido. E se não for você? Será alguém próximo que não merecia sofrer, por nada. Pensando em tudo e em todos. Isso tinha que acontecer... Ver pelos olhos apaixonados, ver (sem querer) o amor alheio. "Sou errada, sou errante. Sempre na estrada, sempre distante. Vou errando, enquanto tempo me deixar" (Nada sei - Kid Abelha)

sábado, 26 de março de 2011

Pergunta

Que tal pararmos de cair em ilusões?

"Era uma aula normal. Torcia para que as pessoas não viessem, para que faltassem mesmo, mas não por doença, só por faltar. É sempre bom faltar uma aula por causa do sono.
Bem muitas pessoas faltaram, entre elas a pessoa que ela queria que faltasse. Um alivio. Uma aula finalmente agradável, e boa.
Não tinha esperança de surpresa. Só a descoberta de mais amigos do que costumava a ter, conversar resolvidas e fofocas nos corredores.
Mais uma aula, reclamavam todos...
Descobrira mais um amigo. Um garoto. Alguém que não costumava falar. Foi engraçado, vê-lo sorrindo. Perguntando dúvidas, indo satisfeito pela resposta.
Ao término da aula, percebeu a satisfação que corria por ela. Estava feliz. 'Mais um amigo' pensava sutilmente enquanto descia as escadas até a saída.
Parou ao lado dele. Enchendo-o de perguntas. Descobrindo coisas inesperadas, e outras mais comuns.
Notou sua risada e seu sorriso perfeitamente alinhado. Além da pela mais branca do que a dela. Mais alto, confesso, bem mais alto.
No último degrau. A divisória, que a porta de vidro, fazia entre a liberdade e os estudos. Ele se virou para ela, com um sorriso elegante e falou:
'Depois de tudo, eu ainda não sei o seu nome.' Ela o olhou carinhosamente, parecia esperar que isso acontecesse. Imagens passavam em sua cabeça. '*** e o seu?' foi a ultima fala dela essa tarde. '******' Ele disse sorrindo.
Apertou a mão dela, ela inclinou a cabeça sentindo o aperto sutil e leve de sua mão quente.
Por fim, deu um sorriso de despedida, e saiu pela porta de vidro. Sorrindo. Sentindo que seus pés não tocavam mais o chão."

Isso é o que a gente chama de ilusão?

terça-feira, 22 de março de 2011

Game Over

Cansa ser sensata. Fazer os outros felizes. Pensar só nos outros, pensar demais cansa. Atormentar a cabeça.
Desculpar-se por algo que você não fez. Rir de algo que não achou engraçado. Chorar por algo que você não quis.
Quem enunciou que você está errada e tem que se 'submeter'? Onde colocaram isso? NÃO É ASSIM!
Nada é certo ou errado. Nada é bonito ou feio. Ninguém pode ter julgar, poxa.
Seria tão simples se tudo se encaixasse e fosse mais fácil.
No final, você vê que nada é perfeito. Tudo está errado. AMIGOS são só COLEGAS. GAROTOS são só GAROTOS. Que seus olhos não enxergam metade das verdades que o seu coração vê.
"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível para os olhos" (Pequeno Príncipe)
Desculpe por não sorrir. Desculpe por vezes chorar. Desculpe por me afastar!!! Cansei...

segunda-feira, 21 de março de 2011

Ela? Deixou de acreditar...

Toda as chuvas que caiam pareciam filmes que rodavam automaticamente na cabeça dela. Pensava a chuva molhando a testa deles, seus cabelos bagunçados pelo vento.
As músicas se encaixavam, junto com seus sentimentos, que corriam pelas veias. Fluindo pelo seu corpo.
Lágrimas, lembravam-no. Música, a faziam chorar.
As coisas faziam um confuso sentido na sua cabeça de amante, apaixonada. Mesmo que não fizesse, ela com certeza acharia um modo que as coisas se encaixassem, mesmo que não devessem...
Tinha tanta certeza de que poderia ser feliz. Não acreditava nesse futuro duro, que os outros falavam. Seu mundo era o suficiente para viver feliz e (in)completa (e ele?).
Necessitava de abraços, carinhos, ombros e sorrisos. Sempre os conseguia, mas não parecia ser o suficiente. Não estava tudo certo.
Seu estresse aumentava.
Sua tristeza, já não era mais contida em textos. Passou a ser expressada, a ser sentida e demonstrada.
Seu ciúme, fugiu de seu próprio controle. Ciúme do que não se tem.
Desacreditou. Desiludiu. Desinfantilizou. Desinocentou.*
A capa de seu mundo, o que a protegia, foi rompida. Rasgou-se. Impossibilitando-a de voltar a viver como antes.
Sua voz sumiu. Sua inspiração ficou para trás. Sua imaginação havia desaparecido. As lágrimas secaram. A tristeza a tinha tomado?
Seu mundo, fora esquecido. Viveria agora, plenamente, nesse novo mundo?
Sobrevivência. Força. Ódio. Re-a-li-da-de.
Passou, a viver nesse mundo.
Boa sorte, menina. O mundo é mais cruel do que o seu.
Viva a sua realidade... Tentando torná-la melhor.

domingo, 20 de março de 2011

DPM

Alguém entende aqueles dias que tudo te empurra para o chão? A cada passo parece que algo dará errado...
Sendo que tudo parece que vai desabar em cima de você, além de que você tem a certeza que não vai suportar toda essa pressão. Você só estava precisando chorar, gritar... Mas tudo estava preso dentro de você. E ainda pior, não dava para esconder.
Isso, às vezes, só dura uma semana. A semana do DPM, assim chamada.
A vontade de sorrir desaparece, e o pior, que não dá para esconder... Não tem vontade de conversar, de rir, de se sentir melhor. Só querendo, que os dias passem, que tudo aquilo se acabe.
Sem querer você acaba se fechando. Os outros, ah, eles percebem. Perguntam, você não quer responder.
Consegue ver algumas saídas para essa tristeza. Abraços, sorrisos, amigos. Assim você espera deles algo que te coloque para cima.
Só que isso é só por um momento. Depois, tudo se vai... E você continua ali. Querendo saber um modo de sair dali, um modo de entender melhor o que está acontecendo.
Porém no final, tudo acaba, e você vê que há uma solução. As pessoas te amam. Abraços (de verdade) você terá para o resto da vida. Sorrisos, você está rodeada deles.
Obrigada por me aturarem mesmo quando tudo parece perdido. Por mesmo sem me verem feliz fazem de tudo para que isso aconteça.
Mesmo me conhecendo bem, continuam me amando. Obrigada, amigos!

segunda-feira, 14 de março de 2011

Abraço


A carência. A tristeza. A comemoração. Vem logo seguida de um abraço. Um abraço forte, com vontade de afastar/dividir essas emoções.
O outro tem como função de receptor. Ele sentirá os sentimentos, o sorrisos, os braços em volta... E quando você simplesmente precisa de um acolhimento, ele estará ali, pronto para te envolver, para lhe fazer sorrir.
Nos poucos segundos que esse ato dura, você se sente como se tudo desaparecesse. A cabeça encostada no ombro, a fim de habitar ali, e ser feliz.
Os olhos se apertam em um sorriso tímido. E o amor corre entre os dois seres. Sem querer soltar, as mãos envolvem quem precisa.
Por fim você se vê sem ele. Vê ir com um sorriso, rindo, te ajudando a se afastar, apesar de que a vontade de ficar ali por horas perdura pelos dois.
O abraço... Abraço de um amigo... Abraço da sua avó... Abraço dele... Os sentimentos fluem sem dificuldades pela sua cabeça, parando direto no seu coração.
Dali, você acaba percebendo, que uma coisa tão simples e fácil como essa pode tornar o dia perfeito.

"Me abrace, que no abraço mais do que em palavras, as pessoas se gostam." (Clarice Lispector)

domingo, 13 de março de 2011

ELE acabou de entrar...


Acho que não sou a única que já experimentei o sabor de ver alguém entrando no msn e esperar que a janelinha pisque, esperar que ele venha falar com você, sobre um assunto bobo e desnecessário.

E quando ele entra, mesmo que não fale contigo, você abre a conversa só para olhar a foto. Para conferir quando ele vai ficar ausente, ou ocupado.

Ai você simplesmente espera. Espera a janelinha piscar, e seu coração dispara no mesmo movimento.

Quando foi a última vez que você mandou um scrap, e ficou com o orkut aberto o dia todo esperando ele responder? Esperando ler ao fim do recado: 'Beijos'. Sentir a presença daquela palavra correndo pela sua mente.

'Por que você não veio falar comigo?' Seria essa a DM perfeita? A que você sempre quis mandar, mas nunca tomou coragem. Ou melhor, 'Eu te amo, e você?', já pensou em trocar o 'tudo bem?' por isso?

'Nome está com um relacionamento sério com nome.' Já desejou que esses nomes fossem seu e dele? E esperava apertar o botão 'curtir' um milhão de vezes.

Já se passou de invisível para ver quando ele entra, e entrar no mesmo momento que ele. Para ver se ele nota que você está online, e está precisando de uma palavrinha dele.

Ai, você lembra de um sonho que teve. Um sonho, que mais parecia realidade. Era a realidade, que fora destruida.

Mas ai você vê. Existem pessoas mais importantes... E se ele não está te dando bola, é porque não te merece... Porque você perdeu tempo demais com alguém que nunca te mereceu, e agora? Agora, agora aproveite o tempo perdido!

Vá à festas, faça amigos, conheça pessoas.

Mas lembre-se sempre. Sempre terá alguém para ocupar um espaço muito especial no seu coraçãozinho.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Viagem


Alguém já se percebeu procurando a pessoa pela multidão. Como se ele estivesse ali. E que quando seus olhos se tocarem tudo parará, o silêncio aparecerá, e seria tudo tão perfeito.
E quando você sonha com ele. Sendo que tudo é tão perfeito. Tudo é do jeito que você sempre quis, do jeito certo. Todas as palavras sempre bem pensadas, os toques certos, a voz rouca, como se tudo estivesse planejado.
Quando o abraça. Que você sente que ele também gosta de você. Ele está ali só para te proteger. Para fazer você se sentir única. Só para te aquecer, enquanto suas lágrimas caem.

"Pareceu um sonho... Um sonho! É e foi mesmo. O meu sonho.
No começo tudo era tão certo, tão bonito, engraçado. Porém tinha tudo para dar errado. Como sempre dá!
Essa era eu, procurando ele na multidão. Olhando para todos os lados, esperando vê-lo. Esperando encontrar algo que faria meu coração bater mais rápido, e o silêncio reinasse perante a multidão do bloco.
Nas praias, as poucas, olhava para os lados, para frente. A espera de encontrá-lo. Encontrar no mar, ou até mesmo na areia. Provar que ele estaria ali mesmo, que não era ilusão.
Passando cada minuto pensando nele. Pensando que ele estaria pensando em mim. Pensando na gente. Pensando... Lembrando... Afirmando para mim mesma as verdades sempre escondidas.
Descobrindo tudo o que sempre sentia.
A viagem acabou.
Pensei nas palavras certas, nos atos perfeitos, nas loucuras planejadas. Tudo o que daria errado. Só por falar com ele.
Descobrindo que ele estava lá, e nem tentou me procurar. Nem pensou que poderia me encontrar...
Vendo que, sim, se divertiu. Que deve ter encontrado outras. E que eu fui só mais uma.
Ah, como eu sou idiota. Achando o meu carnaval chato, e ele... Bem ele achando tudo maravilhoso, tudo ótimo, mesmo sem a minha presença.
Saudades? Acho que nem sentiu... Pensamentos? Nem deve ter ficado lúcido, para pensar nos momentos em que se declarou... Eu? – QUEM? –.”

Foi só mais uma ilusão. É... Foi só um sonho.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Ciúme


Arrrrrgh! Ciúme, ciúme, ciúme, ciúme... É o sentimento mais chato que existe. Aquele que deixa todos os seus nervos a flor da pele. Sua testa franze. E você sente que a raiva toma conta do seu corpo. É tão desesperador, você não consegue se controlar e tudo parece estar dando errado, principalmente quando a pessoa não está com você, e está com outra...

"Era tão simples, tão fácil dizer 'Sim, quero você como namorado.'. Por que situações como essas tinham que se tornar tão complicadas?
E você nem notar que tudo o que eu falo, tudo o que eu faço, tudo o que tento fazer você entender é de verdade, e que tudo o que acontece é porque eu mesma não me entendo.
Ai você vem, desce, sobe, passa, volta, e nem cogita em falar comigo, nem quer entender o meu ponto de vista. Desistiu?
Até parece que todas querem falar com você! Parece que elas só fazem isso quando eu olho! Parece programado. E eu não posso falar nada! Você não é meu!
E a (pior) sensação começa a reagir com o meu corpo. Eu me sinto tão mal, tão resmungona, tão com vontade de socar a parede!
Você nem percebe o que eu sinto, nem nota. Ah e o pior é que eu sinto! Sentir ciúme! Sentir raiva! O (puro) sentimento da posse."

"Quando você tinha você nunca quis me dar valor,
Você lembra como eu vivia atrás de você.
Que decepção pois você foi o meu primeiro amor" (Exaltasamba - Fui)

terça-feira, 1 de março de 2011

Love, amour, 愛, amore...


Alguém me explica o que é o amor?
Tem pessoas que dizem ser um sentimento gostoso. Que você sente quando você encontra a pessoa certa.
Alguns argumentam que é o que você sente por alguém que você quer casar, e viver pelo resto da vida.
Tem gente que nem acredita que esse 'troço' possa existir.
Outras dizem que existem tantos tipos de amor. Aquele arrebatador, o de amigo, o platônico. 'Amor é amar'.
E aquele amor especial. Especial que faz sorrir, rir, pular, se perder em seu coração. Especial que também faz chorar.
Aqueles dizem que tudo faz parte dos hormonios, nada é real, tudo está armazenado em uma área do seu cerébro. Ou não existe isso de alma gêmea.
Então será que o amor não terá uma resposta óbvia, uma resposta que eu possa dizer: 'É isso!'. Então a minha dúvida vai permanecer?
O amor é algo que a gente não consegue classificar, algo que a gente não define, não caracteriza. É algo que se sente, que se curte, que se ama.
Tanto faz o que digam. Que seja só os hormônios do corpo, que seja as batidas rápidas do coração, só sei que é bom, e que todos querem!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

FORMSPRING


É besteira usar um post inteiro para escrever sobre algo que eu mesma criei!
É o seguinte, eu criei um formspring. Nele, darei conselhos sobre qualquer perguntas!
Espero ajudar pelo menos alguém.
Confesso que adoro dar conselhos para todos os meus amigos!
Pode perguntar aqui: http://www.formspring.me/criareviver
É o primeiro link à direita. Clique em 'CONSELHO' e você poderá perguntar.
Obrigada!
Beijos
Ana

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Poema I

Amar por amar

Amar é o sentimento
é não amar o que o outro é
É cegar-se
e só ver o que quer
Amar assim
É amar de olhos fechados
Um amar que encontra logo seu fim

É amar indiretamente
Um romance que não se deixa levar
É se esconder completamente
do verdadeiro sentido do amar.

Eu te amo,
Mais que tudo!
O amor que não se vê
Só se sente dentro de todos.


'Esse poema, fiz na 8ª série. Foi um trabalho, que tinha que conter duas estrofes com 4 e duas com 3. Não é o melhor, com certeza. Mas levemos em conta a inocência, o amor verdadeiro, aquilo que sentimos e acabamos escrevendo.'

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Desde sempre, para sempre.


Todos nós, em algum momento de nossas vidas, nos vemos completamente perdidos, completamente desamparados, só precisando daquele abraço, daquele silêncio.
E eles, eles mesmos, estão lá. Esperando você, esperando a sua necessidade, esperando que você seja feliz.
Já se sentiu assim com alguém?
Essas pessoas, que nos colocam para cima, quando já nos encontramos no fundo do poço. Pessoas que só querem que sejamos felizes. Pessoasl que querem eternamente o nosso bem!
Além de tudo, são com elas que você passa os seus dias, que você passa os momentos felizes e bem desolados da vida. E elas, sempre, estarão lá.
Até há alguns anos atrás eu nem pensava que amigos, de verdade, poderiam existir. Aqueles que te passam a perna, que só ficam juntos com você por interesse.
Hoje eu digo, eu tenho amigos de verdade.
Com eles eu posso chorar, rir, gritar, ser eu mesma, sem medo.
Temos brigas, daquelas mais idiotas possiveis, mas sinceramente, não conseguiria viver sem eles um dia da vida. Não conseguiria não pedir desculpas, porque eles são realmente importantes.
E perceberá que só com eles viveu tão intensamente esses anos todos. Que com eles, você foi realmente feliz, e ficou feliz.
Agora você deve estar lembrando deles, lembrando as suas 'aventuras', as palhaçadas, as noitas em claro, os longos choros. E passa como um filminho na cabeça da gente. E ai percebemos a grande importância que eles tem na nossa vida.
Até que um dia, você olha para trás e vê que tudo passou, e que não vai voltar. Que foi o fim, o fim para um novo começo.
Aqueles amigos de todas as manhãs, seguiram o seu destino. E vocês foram separados. E você chora, e espera que um dia eles lembrem dos dias maravilhosos, e também encham os olhos d'água.
Assim como eu, quando lembro que um dia, vou ter que abandoná-los. Que nunca mais poderei vê-los. E a separação é um longo caminho.
Como dizem em colações do 3º grau: 'Esse é só o fim para um grande começo!'
Tomará que eu fique para sempre sem seus corações, porque vocês já tem um espaço (grande) reservado no meu!
Lembrete: NUNCA ABANDONAR!

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Only my best friend...


Amiga: Quando você ri, ela acha que você ta feliz.
Melhor amiga: Sabe que mesmo você rindo, está chorando por dentro.
Amiga: Quando você fica com um menino bonito, ela te inveja.
Melhor amiga: Quando você fica com um menino bonito, ela fica feliz por você.
Amiga: Quando você chora, ela seca suas lágrimas.
Melhor amiga: Não deixa suas lágrimas cairem.
Amiga: Não liga de você ter vários amigos.
Melhor amiga: Tem ciúmes de tudo e de todas.
Amiga: Entra na sua casa toda envergonhada.
Melhor amiga: Entra e já pede logo uma comida, uma bebida, cumprimentando a família toda.
Amiga: Quando começa a namorar, te exclui.
Melhor amiga: Quando começa a namorar, faz questao que você aprove o namorado pra se sentir melhor.
Amiga: Te entende com palavras.
Melhor amiga: Te entende com o olhar.
Amiga: Ri com você.
Melhor amiga: Faz você rir.
Amiga: Na primeira briga, te abandona.
Melhor amiga: Pode brigar mais de 100 vezes, vão sempre ser melhor amiga.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Aprenda com eles


Quando a gente entra nesse mundo, a gente entra para viver, para sorrir, para sofrer. Entra sabendo que isso é mais que um jogo, é a vida, a nossa vida.
E algumas vezes, mesmo não sendo sua culpa acabamos nos decepcionando com atos, pessoas, com coisas tão bobas.
A decepção vem logo após, a saudade. E é um sentimento tão desagradável.
A saudade te faz chorar, já a decepção te deixa triste e com raiva. Como se tudo estivesse dando errado, como se você não fizesse parte daquele mundo.
Ai, a decepção! Não chega a ser pior que a saudade, mas é tão ruim quanto.
O pior é quando você gera espectativas em cima de algo, e acaba se desapontando, acaba por fim, vendo que tudo que você pensou, era só... só ilusão!
E o que fazer?
Não há uma receitinha que diga o que fazer para afastar as sensações ruins, mas dá para superar, certo?
E quem nunca se decepcionou? E vemos eles tão alegres! Tão renovados!
Talvez, é só um talvez, os sentimentos ruins, coisas desagradáveis sirvam para fazer com que nós enxerguemos o mundo de uma nova maneira. Que nos reconheçamos! Uma maneira que nos faça sorrir outra vez.
Algum dia, alguém já te disse: 'Tem males que vem para o bem!". E é nisso que eu estou mentalizando!
Como eu já havia dito antes, tudo passa! TUDO! Mas jamais vou desistir!
(Vocês entendem, né? ;])

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A different way


Vai ser novidade para mim, escrever aqui, falando em primeira pessoa e querendo que todos entendam que é a minha vez de falar. Que não é porque eu fiz só esse post que eu pararei de escrever. Bem, dessa vez eu não quero que ninguém fique 'confuso' de se esse texto é para mim, ou se eu escrevo por alguém!
Então, eu escuto muitas músicas. Músicas que me acalmam, músicas que me fazem chora (muito), músicas que me fazem sorrir. São só músicas, não?
Esses dias eu escutei uma música que me indentifiquei tanto, e gostaria de postar, nem sei como colocá-la aqui, mas irei tentar. Se não der certo deixarei o link do @youtube para quem quiser acessar!
O nome é 'Not Like The Movies' da Katy Perry, ela cantou no Grammy 2011, e foi lindo. Então eu fui ver a letra, e me encantei de verdade.
É só uma sugestão, bobagem de menina, entende?
http://www.youtube.com/watch?v=9ewTkrfaWtA


O próximo post virá bem próximo a letra da música!

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Amor é um perigo


Eu me esqueci como se anda para frente, como se para de ter medo das coisas bobas. Como se supera um amor que machucou demais você. Como para de ter medo de se entregar.
Ai me perguntou: 'E se tudo for como antes, e se eu me machucar mais, e se o meu tombo for ainda maior! Se eu estou apostando, em um jogo que irei perder, um jogo que não é para mim'
As perguntas rondam minha cabeça, a duvida de avançar. Me ver chorando pelos cantos. Escondendo os olhos, para que ninguém perceber que eu estou triste, que eu me magoei, para que ninguém se magoe também.
Perceber que a mesma cena, da menina boba apaixonada pelo galã, se repetindo na minha cabeça. De ver ele a negando, de ver amigas se separando, de ver que o mundo não é mais perfeito por sua causa, por causa de um amor que nunca daria certo.
E o pior de ter medo, é não poder se entregar e ver que o futuro pode ser diferente do imaginado, pode ser diferente do passado.
Mas como parar de ter medo?
Medo - subst m medo ['medu] sentimento de inquietação perante eventual perigo.
Então o amor é um perigo, que faz ter medo?
Amor é o perigo que todos temos que correr, e o medo faz parte. A melhor patrte é a surpresa, porque pode ser uma vitória ou uma derrota. Mas não interessa, o que importa é que você conseguiu se entregar e ser feliz! ARRISQUE-SE.
"E aquele medo de viver um dia se torne um grande amor!" - (Você me encantou demais) Natiruts.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Querido destinatário

Rio de Janeiro, 04 de Junho de 2011

Querido destinatário,

Talvez você nem entenda o que está se passando, eu também queria entender, mas eu não consigo! Queria que alguém compartilhasse comigo a minha dor, alguém que visse de outro ponto. Você, pela sorte do destino, foi escolhido. O balão que larguei da porta do meu jardim caiu em suas mãos. Obrigada por ao menos abri-la para ver do que se tratava!
Em primeiro lugar quero lhe informar que não é a melhor história que já ouvistes, muito menos parecerá um filme, então se quiser rasgar e jogar no lixo, eu entenderei. Já que o problema é meu, e é um abuso meu lhe pedir que continue a ler.
Bem se chegou aqui, é porque se interessou pela minha humilde cartinha. Leia, de coração aberto, sem me criticar, enviei por isso, exatamente por não me conhecer.
A história é longa espero que se interesse.
Nós éramos dois apaixonados, completamente apaixonados, pelo menos era o que parecia. Ele me agarrava em seus braços e eu me sentia nas nuvens, seus beijos eram como correntes elétricas pelo meu corpo frágil, e toda noite sonhava com ele. Era como se fossemos perfeitos um para o outro. Como se nada atrapalhasse. Mas só éramos amigos, só amigos.
Isso me irritava muito. Eu tinha me aproximado dele em janeiro desse ano, para tentar algo, que não sei bem.
Ele nunca me dissera nada, pior, não falava o que sentia, ele era o amigo dos abraços, dos beijinhos e das aulas do curso. Era só. Mas sinceramente eu sentia que ele queria algo mais, algo mais profundo, mas nunca me valorizei muito para acreditar em mim mesma.
Era estranho, tínhamos amigos em comum, era divertido tê-lo ao meu lado, era agradável. Eu sentia sua presença dentro da minha alma.
No meu aniversário, fizeram uma festa surpresa para mim. Era algo que eu sempre desejei, foi tudo perfeito, mas sabe que nada é totalmente perfeito, o final estragou. Uma prima minha, foi na festa, ela não era muito bonita, muito divertida e legal confesso, mas ela estragou meu aniversário.
Eu ia falar com ele, mas quando estava chegando perto, ele estava beijando a menina. Era um beijo muito bonito, mas não era meu, não me pertencia. Meus olhos se encheram d’água, e sai correndo.
Contei tudo o que aconteceu para as minha amigas, elas ficaram pasmas, mas bravas comigo, me culpando por não ter falado com ele, por ter deixado passar essa chance. E era verdade, a culpa era minha...
Os dias se passaram, e eu resolvi esquecê-lo, mas como eu posso esquecer um amor? Eu sou fraca demais para isso.
Um dia recebi uma carta dele, de suas próprias mãos. – A carta dele está colocada ai no envelope –


"Querida A.,
Não entendo o motivo por você parar de falar comigo! Não entendo o que eu fiz. Não lembro na verdade. Só queria dizer que sinto sua falta, sinto a vontade de falar com você. Se pudermos conversar um dia desses, eu adoraria. Por favor, só quero uma explicação, se for o caso saio da sua vida para sempre, mas me dê uma chance. Podemos nos encontrar mais cedo aqui no curso.
>Beijos de um menino culpado.”

Eu sentia falta dele, não podia deixar de encontrá-lo.
Cheguei mais cedo, ele estava lá, com a cabeça entre as mãos. Olhei para ele, como se não estivesse ninguém ali. Era importante mostrar que eu estava bem chateada com ele.
Tivemos uma longa conversa. Foi bom, eu sentia falta de falar com ele, de ele pegar em minhas mãos e afagá-las. Sentia falta do seu sorriso, e seu cabelo bagunçado. Expliquei o que vi, e que me magoei. Ele entendeu o que estava acontecendo, percebeu que eu gostava dele, que ele era especial. Ele sorria a cada palavra, viu que eu tinha ciúmes dele, que ele era importante.
Depois de terminar de falar foi minha vez de recuar a cabeça, olhar para o chão enquanto ele segurava as minhas mãos. Ele levantou o meu olhar, e falou pausadamente: ‘Eu te amo’. Meus olhos se arregalaram, a garganta secou, não conseguia falar nada. Ele continuou com o olhar sugerindo uma piada. Abaixei a cabeça novamente e disse bem baixinho: ‘Eu também, e muito’. Ele havia ouvido.
Levantou pegando a minha mão. E subimos para a sala, ele estava todo presunçoso, como que se alguém houvesse dado chocolate belga para ele. Eu estava muito envergonhada, a cabeça baixa.
Ele me amava! Ele me amava! Repetia isso enquanto pulava em meu quarto. Era muita felicidade para mim, eu o amava e ele também. Perfeito.
Minha felicidade não iria durar muito, a vida é assim. A gente já estava namorando fazia um mês era ótimo tê-lo como meu namorado.
Mas no dia seguinte, que a gente completou 1 mês de namoro, ele me enviou outra carta. Num papel rosa, muito bonito, essa eu guardei. No envelope tinha escrito o meu nome em letras muito bonitas, nem parecia ser a dele. Transcreverei aqui:

‘Querida A.,
Obrigado por cada minuto que passei com você, por cada dia. Obrigado por você existir, você foi a pessoa mais importante que já tive. Sabe o que é amor, então eu descobri nesse um mês.
Eu queria passar muitos anos com você, queria tê-la comigo, queria poder ter o seu sorriso todos os dias de minha vida. Mas o destino me tirou do seu lado, me tirou dos seus braços. Como eu queria continuar aqui, mas não posso.
Minha avó como já disse está muito mal, ela está internada no hospital de Los Angeles, e eu tenho que ir lá, falar com ela, e acho que ficarei bons anos lá.
Não vou terminar com você, porque isso não é uma opção para mim, não conseguiria.
Sei que é egoísta, mas vou pedir que não me esqueça, porque eu não vou te esquecer, e quando eu voltar, te esperarei, mesmo que você não me queira mais.
Eu te amo mais do que a mim mesmo!

Com muito amor,
Do seu eterno amante.’

Ele estaria mentindo para mim? Queria que ficasse aqui, esperando por ele? Eu não sei mais o que pensar. Mas só sei de uma coisa, eu o amo, mais do que tudo, mais do que a mim mesma.
Agora deixo para você pensar, eu o espero ou sigo a minha vida? Eu tento esquecê-lo ou fico esperando ansiosa para que ele volte para mim?
Ele me prometeu, e eu acredito nele, tanto que na carta ele mandou um anel, um solitário branco escrito nossos nomes.
O que eu devo fazer? – Me pergunto isso todos os dias.


Com Carinho,
Uma menina desesperada.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Persistência

Fiquei bastante tempo, confesso, para entender os corações. É difícil, mas depois de algum tempo de prática você acaba aprendendo, e consegue ver a história do ponto de vista do ‘apaixonado’.
É tão bonito. Você tentar sentir o que o outro está sentindo. Tentar entender o que está passando pela aquela cabecinha confusa. Mas no final todos conclui a mesma coisa, é a loucura, o sossego, o atordoante chamado AMOR.
‘Ele era louco por ela, de uma maneira extraordinária. Ela se culpava por só querê-lo como amigo, como se esse amor não fosse o bastante para ele. Passou-se anos para tentar conquistá-la, para mostrar ser o príncipe que ela tanto procurava nos outros.
O tempo passou, ele até parecia se satisfazer com o lugar de amigo, no coração dela, mas na verdade reprimia o desejo de ser mais que isso. Ele a amava, e não tinha vergonha de admitir. Gostava de conversar, fazê-la rir, só ser um amigo.
Mas assim como o tempo, o coração da menina foi mudando. Se tornando cada vez mais frágil ao amor dele. Como se ele estivesse ganhando ela aos poucos. Ele teve que passar por obstáculos, choros e épocas de muita tristeza para ter o seu momento de glória.
Ela estava completamente e finalmente apaixonada. Um amor estranho, diferente, novo para ela. Se apaixonar pelo seu melhor amigo.
Ele por fim sorriu, mostrando captar a idéia, mostrando que também a amava.
Apesar de tudo, no fim, eles dois eram somente príncipe e princesa em busca de um amor verdadeiro, que simplesmente estava ao lado deles.
A paixão arrebatou seus corações, e agora é só deixar rolar, porque o destino já juntou esse amor, esperando que ele evolua!’

Que seja para sempre, porque se depender de mim, vocês vão ficar juntos! Já são muito especiais.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Tudo dará certo!


'Bem-me-quer, mal-me-quer, bem-me-quer...' Durante horas fazia isso, como se algo assim me indicaria que ia acontecer alguma coisa, que o amor ia acontecer. Milhões de flores peguei no jardim para poder descobrir a verdade que eu queria acreditar.
Várias vezes olhava o relógio, vendo as horas iguais, vendo horas que para mim queriam dizer que estava pensando em mim, como se isso fosse verdade. Como que naquele momento eu estava pensando em você, e desejando que você também estivesse fazendo.
Sempre desenhando em papéis, nas mãos e no computador, esperando que um dia você olhasse e concordasse comigo. Que você também faria isso! Que escreveria algo pensando em mim!
Pensando que você sentia minha falta, ou sorria ao me ver. Mera ilusão?
Mas o pior de tudo agora é me pegar pensando, várias horas em você. Me perguntar se não há nada em minha cabeça para que eu possa parar de fazer isso, se eu estou com problemas que não me permitem pensar em outras coisas.
E além disso, é saber que você nem deve pensar dessa maneira, ou talvez nem tenha uma opnião sobre esse assunto, que tanto me interessa!
Mas como diz uma amiga minha: ''Tudo dará certo". É assim, se tiver de ser, será. O melhor sempre acontece, mesmo que isso só parece coisa de criança!
'Never alone'

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Destino


Só se trata do destino. Da espera. Do amor que sente. Do jeito que trata as pessoas. De como você é. No final, todos os contos de fadas encontram um príncipe encantado, a morte da bruxa e um lindo final feliz. Contos de fadas na vida real existem! Existem príncipes e princesas espalhados pelo mundo, prontos para encontrarem alguém especial.

"Ela era tão criança, mas já havia sofrido tanto, chorado tanto por amor. Mesmo nova como era, nunca deixou de acreditar no amor verdadeiro, no mundo de contos de fadas, no final feliz de suas histórias bobas imaginárias.
Sofreu tanto por garotos que não valeram a pena, por pessoas que eram estúpidas, cegas ao amor que ela queria dar. Ela foi uma verdadeira idiota por permanecer num amor que acreditava ser o primeiro amor de sua vida. Se dedicava tanto à ele, amava ele incondicionalmente, sem esperar nada em troca, só um pouquinho de amor. Ela sobreviveria só com um pouquinho de amor.
Todos a alertavam que ele era errado para ela, ele não a merecia, eles viviam em mundo separados. Ela não acreditava, parecia cega ao que estava à sua frente, parecia que vivia em seu próprio mundo, sem considerar qualquer sugestão.
Até que um dia, um belo dia na verdade, Janeiro. Ela encontrou. O destino estava jogando ao seu lado. Ele era lindo, com seus cabelos e olhos claros, de tirarem o fôlego. 'Muito simpático' afirmou um amigo que por pura coincidência o conhecia.
Tudo parece induzi-la ao seu maior amor! O destino deve dar uma mãozinha!
Ah, obviamente, a pequena princesa, tinha seus protetores. Era um casal, que ela mesma ajudara a juntar. Um casal lindo, que se amava. Eles eram fantásticos, os seus melhores amigos, as pessoas que sempre estiveram ao lado dela sempre!
E sua bonita história de amor, talvez esteja começando!"

'É impossível' disso o orgulho. 'É arriscado' disse a experiência. 'É inútil' disse a razão. 'Dê uma chance' sussurrou o coração.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Only a new love?

Parece tão bobo amar... Tão bobo sentir isso... Um sentimento rotineiro, sem mais nada. O amor é só isso? Só algo que passa? Algo que dura, mas que também não é nada de mais?
Se talvez seja assim que se sinta, é que ainda não sentiu o amor de verdade. Amor não é simples, não é 'um sentimento', não é nada bobo! Ah, o amor... É o sentimento mais bonito que o homem inventou. Que nos faz sentir únicos, incríveis, perfeitos...
É tão simples e perfeito!
Não era acidente, muito menos um erro, era simplesmente o amor que ele guardou para ela a vida inteira.

Era um dia normal de escola. Chato, chato, chato, normal mesmo! Ela subira as escadas, até o último andar onde era a sua sala, como sempre ele viera atrapalhar, como sempre implicou com ela, riu dela, mas deixou a passar. A cada mínimo dia que se passava, a menina mais o odiava. Odiava o jeito que ele falava, o jeito como ria, o jeito de escrever, odiava ele, esse era o fato. Como alguém poderia implicar tanto com ela? Por mais que eles se odiassem, jamais ele desistira de atormentá-la, para ele parecia um joguinho pessoal.
Era o último dia de aula, para as férias, ela não estava em seus melhores dias, não queria vê-lo, não queria que ele falasse com ela, muito menos irritá-la.
Ela fizera o mesmo caminho de sempre. Subira as escadas para encontrá-lo. Ele escondia a mão atrás, nas costas e a cabeça baixa. Ela imaginava um pedido de desculpas, um 'foi mal' era com certeza o máximo que conseguiria arrancar dele.
Ele olhava seus pés se movimentando, num ritmo lento e estranho, jamais o vira daquele jeito. Ele deveria estar mal, mas por que estava demonstrando, essa pergunta pairava sobre sua cabeça.
Era só o último dia, só isso, não se importaria se ele a irritasse, vendo o estado dele. Ela acenou para ele, a fim de tentar fazê-lo perceber sua presença. Ele enfim a olhara, seus olhos eram jubilosos, nunca havia notado a tom amendoado que eram.
Ele se sentou, fitando-a a todo momento, e fez com ela se sentasse também. 'Não faz diferença' ela se lembrou revirando os olhos.
Ele voltou a olhar seus pés, sentado. Ela ergueu os olhos para ver o que tinha nas mãos, era uma pequena rosa, tirada ao certo do jardim da vizinha, e um papel amassado, uma folha de caderno na verdade.
Ela estendeu a mão, como se quisesse pegar, ele imediatamente entregou a ela, sem nem ao menos dizer nada, estavam em silêncio.
Ela passou os olhos pelo poema, amassado e cheio de carinhas felizes e envergonhadas. 'Bom desenhista' pensou.
Em cima, no topo da carta, havia seu nome, escritos em letra maiúsculas e sublinhado. Seus olhos passavam pelas palavras lentamente e fora lendo.

"Sei que para você é estranho, eu, sabe, bem... Nunca te vi dessa forma, ou melhor ignorava o que sentia, ignorava ver o que eu não queria. Mas finalmente tudo veio a tona, não consigo mais me enganar, muito menos ao meu coração.
É estranho, um menino como eu, me apaixonar, parece bobo, na verdade parece ridículo, mas foi o que aconteceu, é o que eu sinto.
Quero me desculpar também por esse ano, por tudo o que eu fiz! Sei que foi errado e infantil, mas eu tinha que me impedir de gostar de você. Sabe a velha história que o amor e o ódio andam juntos? Foi nisso que eu pensei!
O meu ódio é tão grande que eu acabei te amando, secretamente.
E resumindo tudo, porque eu falo demais:
'I wanna someone to love me for who I am'
Beijos"

Ela chorou, foi só uma lágrima, um arrepio surgiu em seu corpo. O ódio andava com o amor em seu coração. Ela então o amava?
Teria as férias inteiras para descobrir!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Meu lord inglês


Meu caro lorde inglês,

Há muito tempo esperava por alguém assim. Em meus sonhos nunca vi tão bela criatura quanto você! O amor que sinto é e sempre será imortal. Por você, meu caro príncipe, daria meu coração para o resto da vida.
O senhor me trata de uma maneira que faz tremer meu corpo e meu coração palpitar. Cada palavra doce, cada abraço e a cada passeio faziam me apaixonar mais por ti. E a vontade de cair aos vossos pés aumentava.
Mas não quis fazer, o senhor, perder seu tempo com meus sentimentos bobos, com a palpitação rápida quando te vejo, ou quando sussurra em meu ouvido que só quer à mim.
Além do que provocas em mim, gostaria de lhe dizer algumas humildes palavras, que estão presas em minha garganta à algum tempo...
'Querido acorda! O mundo medieval acabou! Você não é o centro do mundo, não é nem ao menos um lorde, por tudo que me fez passar! É um garoto qualquer! Mais um amor passageiro... Ah, cansei de ser MAIS UMA, preciso de alguém que me trate como única [acho que já encontrou], alguém que me entenda e me respeite, e que me ame!'

Beijos já não tão apaixonados,
da menina que acordou para a realidade
.

Para uma amiga, que finalmente encontrou seu príncipe encantado!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Frágil


“Estou guardando meu coração aqui. Quando recebê-lo tome cuidado, é feito de um material frágil e não é possível saber por quanto tempo durará.
Se não quiser receber, me mande de novo a carta, irei saber a sua vontade. Mas saiba que nunca mais o enviarei, pois esperava receber o seu em troca. E também que em mim irá doer mais do que você imagina, pois entrego meu coração sem olhar nenhuma conseqüência. Entreguei-o esperando que você o aceite sem preconceito ou ódio, porque eu ainda te amo...
Se gostar, e te agradar o meu presente, meu rosto ficará alegre, e saberei que posso esperar o seu em troca. Já se não me enviar o seu, saiba que maltratará a mim, já que meu coração ficará preso à você, e nada poderei fazer.
Faça o que seu coração mandar, e se for de seu agrado, dei-me ele, pois cuidarei dele como se já fizesse farte de mim!”

sábado, 15 de janeiro de 2011

Felizes para sempre

Nossas vidas não são livros, ou filmes para terem que ter um final feliz em tudo o que vivemos. Vivemos para encarar as tristezas, angustias que a vida também nos trás. Podemos viver também a alegria e a paixão, porque elas que farão a diferença na vida!
Nem sempre as coisas acabam da maneira que deseja, nem sempre podemos dizer que o nosso 'feliz para sempre' será realmente 'feliz'. Às vezes precisamos de um tombo, para levantar melhor, para poder ver que a vida é para ser vivida da melhor maneira possível.
O feliz para sempre deveria logo chegar, mas...

"Ela gostava dele, tudo era bom para ela, se ele estivesse feliz. Nunca chegaram realmente a se olharem, ou ao menos conversarem, além, é claro, de um 'oi' uma ou duas vezes.
Seu amor era único, quem nunca amara daquele jeito, jamais sentiu o verdadeiro amor. Era besteira brigar por ele. Um menino diferente dela, desmerecedor de seu amor, ele não amava nada, ou assim que os outros pensavam.
Ela não conseguia mais esconder o que sentia, de tentar reprimir o ciúme dele, ou da vontade de falar sempre que quisesse com ele. A partir daí tudo começou...
Descobriu, que com o passar do tempo ele também a amava, por mais incrível que pareça, ele nunca teve coragem de assumir! Namorou muitas meninas antes de poder dizer o que sentia.
Ele resolveu, por fim, se declarar, escrevera uma carta e mandou entregar nas mãos dela.
Na carta dizia:
'Por quanto tempo tentei me esconder do que senti... Tentava não encarar o que sempre quis, reprimindo, olhando sem você nem mesmo perceber. Não faz muito tempo, que eu comecei a sentir isso, desde ao menos que me contaram que você gostava de mim. Foi um surto para mim, não consegui aceitar. Mas agora eu venho aqui, nesta carta para me declarar, e dar todo amor que guardei só para você! Eu te amo! (...) - as últimas palavras saltaram em seu coração como uma onda de calor e de arrepio - (...) Apesar disso já não posso mais te enganar, tenho que seguir o meu destino. A vida me mandou ir para longe de você, e apesar de não ter acontecido nada, eu sempre te amarei. Espero que consiga seguir a sua vida! Porque eu não irei conseguir, sem pensar um dia em você! Para sempre! Adeus.'
Ao terminar de ler a carta, suas mãos tremiam, seus olhos não sabiam que emoção sentir, seu coração palpitava. Era o seu primeiro amor. Resolveu retribuir a carta:
'Te esperarei pela eternidade... E espero que volte para mim! Eu te amo! Até logo.'
-Desculpe-me, mas não terei coragem de terminar essa história com o final triste, sei que a vida não é sempre um mar de alegrias e sorrisos, mas ao menos devemos sonhar que possa ser. Devemos acreditar que a felicidade pode ser encontrada em qualquer lugar que esteja-
Depois de um ano, ele havia voltado. Ela sorria ao vê-lo, nem podia acreditar que tudo era verdade, que seus sonhos afinal haviam se tornado realidade. Seu final feliz, por fim existiu”

'Eu a vejo sorver a imagem da lua cheia, inundada pelas memórias libertas, não desejando nada além de fazê-la saber que estou aqui. No entanto, fico onde estou e também olho para a lua. Por um breve instante, é como se estivéssemos juntos de novo' John Tyree - Dear John

sábado, 8 de janeiro de 2011

Eu senti saudades...

Pela primeira vez na vida dela ela sentiu saudades de alguém. Esse sentimento a dominara muito forte, fazia seu coração tremer sempre que pensava no nome dele. Ela não conseguia acreditar que ele havia se mudado, que ele havia se esquecido dela, que aquele amor tão forte, que abalava o coração dela, poderia ter acabado assim... do nada.

Todos os dias pareciam de chuva, ela fazia o mesmo trajeto de sempre, ia para a escola e voltava, sozinha e em silêncio. Ele era a vida dela, era o seu ar, seus batimentos cardíacos. Ela estava morrendo lentamente por dentro.
A vontade de ficar sozinha, esperando que o tempo passasse mais rápido, crescia dentro dela.
Ela não sabia o que ele sentia, não sabia o motivo que tinha a abandonado, não sabia se ele já não mais a amava.
Estava óbvio que ele a esquecera, mas como explicar isso para o coração, e falar para ele esquecer todos os momentos que passaram, todos os momentos que fizeram ele disparar e sentir a doce sensação do amor.
Como todos os dias, ela foi para escola, 6 horas da manhã como de costume, andando olhando para baixo e os olhos caídos. Até que ela bateu em algo ou em alguma coisa, na verdade, tinha certeza de que era alguém, já que fazia aquele caminho todos os dias.
Seus olhinhos olharam para cima, como uma maneira de comprovar as suas suspeitas. Ela encarou o moço bonito, de cabelos negros e olhos castanhos. De seus olhinhos caíam lágrimas, não conseguia acreditar. Era ele. Ele voltara para a cidade, voltara para ela, voltara para salvar a sua vida.
Eles se olharam por muito tempo. A visão deveria ser angelical, calma, delicada e arrebatadora.
Ele por fim falou para ela, olhando nos seus olhos:
'Eu te amo!'
Foram mais do que palavras, foi o que precisava para reconstruir seu coração, para fazer ela voltar a viver e acreditar que ainda ele a amava e que nunca a esquecera.
Percebeu que ele sofrera, pelas olheras fundas em seus olhos, e pela magreza de seu corpo. Ele sentiu saudades assim como ela.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

V: 'Só quero que você fique calma'


Foi um conselho! Na verdade, um ótimo conselho! Agradeci a pessoa muitas vezes por ele.
Não veio da minha cabeça essa ideia, mas sim de outra apaixonada. Resolvi escrever:

'Ela era/é inocente, boba, não pensa direito e como já poderia ter sofrido por um grande amor? Para mim, o amor não escolhe data e hora para destruir o coração, mas quando vem com tudo, é um sentimento arrebatador. Ela já havia se apaixonado antes, muitas vezes aliás, apesar da pouca idade, Nada concreto, amor sem sentir, sabe? Um amor só de gostar, um amor falso, um amor exterior, um amor que envergonharia qualquer amor verdadeiro. Até que ele apareceu na vida dela. Nunca a notara, mas para ele entregou seu coração. Entregou fácil demais, minha jovem, entregou sem ver as consequências, entregou só olhando o lado bom. Pela primeira vez em sua vida perdeu as esperanças no amor verdadeiro, seus sorrisos de menina se transformaram em lágrimas, seus amigos se tornaram anjos e seu coração fora que-bra-do...
O tempo TEVE QUE passar. A menina calmamente colara os pedaços que ficaram seu coração. Obviamente não voltaria a ficar completo como antes. Mas ela aprendeu a olhar antes de cair, ela cresceu com tudo isso. Apesar de tudo, ela nunca deixou de acreditar em contos de fadas, príncipes e princesas e amores verdadeiros'
E tendo sempre muita calma, porque um dia, inesperado, o amor aparece sem nem procurar.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Noite do baile

Como todas as meninas, ela também ansiava pelo baile. Esperava o seu príncipe encantado chegar, com uma dúzia de rosas em uma mão e seu coração na outra. Desejava que aquela noite deveria ser perfeita, com beijos, danças e ele ao seu lado.

Faltavam alguns dias para o grande baile. Ele ainda não tinha convidado nenhuma garota, e ela também não tinha sido convidada por ninguém. Nos almoços que passavam juntos, conversavam por horas, ela ria e ele passava a mão em seus cabelos, muito bonitos aliás.
Ela não aguentava mais, conversava com ele, brincava e tudo, mas nada de falarem sobre o baile.
Eles eram vizinhos. Janela à janela.
Eles chegaram no baile, separados, cada um por uma porta. Ela estava muito elegante, um vestido branco que mesclavam com um rosa muito sutil, parecia até uma princesa dos contos de fadas. Ele estava de terno, muito formoso. Um terno preto e uma gravata vermelha, estava tão divino quanto ela.
Eles finalmente se entreolharam. Ela abaixou a cabeça em sinal de comprimento, e ele fez o mesmo.
Durante a festa ele sempre a olhara, vendo-a sentada na cadeira do outro lado da pista de dança. Ela estava com a cabeça baixa e olhando para o anel brilhante que estava no seu dedo.
Ele enfim decidiu falar com ela. Arrumou o paletó e foi em sua direção. Sentou-se ao seu lado. Ela resolveu puxar o assunto, já que ele já tinha tomado a iniciativa de vir.
'Então, quem será a sortuda que vai ao baile com você?' 'Ah! Ela nem sabe que eu queria chamá-la, ela é tão bonita, inteligente, sabe a garota perfeita?' 'Claro...' Sua voz já estava cansada e totalmente desanimada, não acreditava que ele já tinha alguém em mente, mas não tinha coragem.
'Bem, ela será uma garota de sorte!' 'Você acha?' 'Claro, você é um príncipe. Bonito, simpático e inteligente' 'Você quer saber de uma coisa? Vou fazer isso agora! Você pode me ajudar...'
Seus olhinhos se encheram de água, ela não podia crer, que ele estava pedindo ajuda para chamar outra para ir ao baile. Ele continuou:
'Você pode me ajudar, dizendo sim ao meu pedido?'
A menina sorriu para ele, lágrimas corriam pelo seu rostinho infantil. Ele sorria abobado com o que acabara de fazer. Ela olhou em seus olhos e respondeu sutilmente:
'É claro, meu príncipe!'
A noite foi perfeita. Eles dançaram juntos a noite toda. Ele roubou uma flor do jardim e deu para ela.
Seu sonho de menina havia sido realizado. A noite já estava acabando e ele falou para ela:
‘Posso te dar um presente?’ ‘Não dá para o senhor me dar presente melhor do que esse baile!’ ‘Posso ou não?’ ‘Claro!’ Ela falava enquanto estava frente a frente à ele. ‘Feche os olhos e abra o seu coração!’
Ela o fez.
O coração disparou, ouviu sinos e passarinhos cantando. Uma brisa suave assoprava o seu rosto. Era um beijo, um beijo do amor mais puro e inocente que alguém já havia sentido.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Pensando, sempre pensando...

Hoje foi um dia tão triste, você nem falou comigo, nem brincou comigo, nem me olhou! Foi um dia tão nublado, e corrosivo.
A melhor coisa que aconteceu, foi porque passou muito rápido, e não tive que ficar me envolvendo em minhas magoas que andam
.


"Ela tinha descido com as amigas para falar de besteiras, para entender melhor a vida, para se distrair dos problemas que rondavam a sua cabeça.
Achava que assim poderia falar o que quisesse, sua cabeça se desviaria do assunto que sempre a perturbava: ele.
Mas seria possível, ele a qualquer momento passaria por ela, dando um ‘tchauzinho’ por educação, passaria a mão em seus cabelos em sinal de afeto, ou simplesmente a ignoraria.
Ele descera as escadas, uma de suas amigas a avisara que ele estava lindo. A mão no corredor, ia escorregando lentamente até encontrar com uma amiga. O menino pegara na cabeça dela, com um aconchego, que fizera a menina estremecer. Sua mão passava no cabelo ruivo da tal amiga, e dando-lhe um beijo no rosto passaram cada um para o seu destino.
A cena que não deveria ter demorado mais do que alguns segundos, pareceu durar horas. Ao vê-lo abraçar aquela outra. E ela se aconchegar em outros braços, dando segurança à ela.
A menina ao observá-lo virou repentinamente o rosto, não podia agüentar vê-lo assim tão próximo de outra que não fosse ela. Seu coração estava em pedacinhos pequenos e esmigalhados. Tudo de ruim que poderia acontecer naquele momento aconteceu.
O sol resolveu se apagar, as nuvens ficaram negras, e tudo o que era colorido passou a ser preto, branco e azul."

sábado, 1 de janeiro de 2011

Novo ano


Fiquei a tarde inteira pensando no que escrever no blog. Já que seria o primeiro dia do ano, não podia ser qualquer coisa. Seria o post para abrir o ano de 2011.
Li o livro 'Querido John' e cheguei na pior parte do livro, a parte que me fez chorar e encher a minha mente de inspirações. Mas como poderia abrir um novo ano com um post deprimente, com alguma história de vida melancólica, algum momento que apurrinhava a minha mente.
Cheguei até a pensar que deveria escrever, como sempre, uma parte que me fizera chorar uma noite inteira. Porém algo me veio a cabeça: 'Como poderia começar esse ano com um post triste. É o primeiro post, tem que ser algo que me alegre, me de inspiração para continuar o ano com um sorriso imenso no rosto'.
Então na minha imaginação tão fértil tive a brilhante ideia.

Ela se viu pensando nele. Não imaginava que poderia se apaixonar novamente depois do que passou. Ele era incrível, um menino formoso, elegante, tinha o sorriso que a fizera sonhar todos os dias.
Ele, enfim, também sentia o mesmo, tinha se apaixonado por ela. Via que a cada dia, que seu olhar brilhava ao vê-la. Necessitava de um abraço ou ao menos um 'oi' dela para que seu mundinho fizesse sentido.
Ele era um garoto muito conhecido, falava com todos, tinhas muitos amigos, gostava de jogar bola, era um menino que poderia ter todas que quisesse, mas havia a escolhido.
Ela era tímida, sorria para todos, dava conselhos, tinha muitos amigos verdadeiros, só ainda era muito infantil em relação ao seu pequeno coração.
Ele finalmente contou para ela o que sentia, e ela finalmente teve a oportunidade de contar também o que sempre sentiu, desde que o viu.
A partir dai o namoro começou.
Ao fim, de um mês, ele deu uma rosa à ela. Mandando junto um poema. A menina chorou de tanta emoção. Estava amando, e isso já estava comprovado.
O conto de fadas deles será perfeito.
Na vida real contos de fadas podem existir, existem bruxas e dragões que atrapalham nossos caminhos, que deixam nossas conquistas cada vez mais desejadas. Também tem sempre a fada madrinha que trás para nós a ajudinha que precisávamos.
Além é claro do príncipe e da princesa que são essenciais, se apaixonam, se entregam ao amor, e no final, lê-se: 'Viveram felizes para sempre'.
Viva o seu conto de fadas, o seu livro infantil. Sinta o amor juvenil e tudo o que gira entorno disso. 2011 é um novo ano para começar com tudo isso.
Vem 2011, estamos te esperando!